16/09/2012

♥FOFOCA ENTRE CRISTÃOS♥




Reflexão Cristã: A fofoca entre os Cristãos O ímpio dá atenção aos lábios maus; o mentiroso dá ouvidos à língua destruidora. Provérbios 17:4 No momento em que alguém venha com fofoca, pare e pergunte: Para que preciso saber disso? Você já falou com essa pessoa ? Acorda ! Não se pode confiar em nenhum fofoqueiro! A bíblia diz que se você escuta fofocas, se torna “ímpio” : “O ímpio dá atenção aos lábios maus …” Pv 17:4, e no livro de Judas ainda complementa “Estes são os que causam divisões entre vocês, os quais seguem a tendência da sua própria alma e não têm o Espírito. “Judas 1:19 O uso da internet tem agravado esse problema, porque agora pode-se divulgar a fofoca muito mais rápido para mais pessoas, permanecendo ainda no anônimato. Paulo nos adverte : “…Mas se vocês se mordem e se devoram uns aos outros, cuidado para não se destruírem mutuamente”. Gálatas 5:15, e ainda agrega que se deve disciplinar e evitar tais indivíduos. Segundo Salomão: Quem vive contando casos não guarda segredo; por isso, evite quem fala demais Provérbios 20:19. Em outras palavras , a forma mais rápida de cortar a fofoca é confrontando aqueles que a divulgam. A igreja não é um programa de televisão, onde as pessoas lavam roupas sujas diante de todo mundo, mas sim deve ser ao contrário: Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda .Provérbios 26:20 . Jesus nos ensinou a maneira correta de tratar com os fofoqueiros: 1) “Se teu irmão te fez algo mal, fale com ele a sós…” 2) “Se ele não te der atenção, chame uma ou duas pessoas para acompanhá-lo…” 3) “Se mesmo assim ele não der atenção a eles, diga a igreja ( igreja – liderança)” (Mateus 18:15-17).Esse é o modo de operar de Cristo, e deve ser o teu modo também ! “Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que ‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas’. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano. Mateus 18:15-17















05/09/2012

A necessária Presença de DEUS






“Então Moisés lhe disse: Senhor, se a Tua presença não vai comigo, não nos faça subir deste lugar. Pois como saberão que tenho achado graça aos Teus olhos, eu e o teu povo?” (Ex 33: 15,16a). Estar junto de Deus é a coisa mais maravilhosa que existe. Passar tempo em Sua presença, buscando-O em oração, adoração, bem como em mergulhos profundos em sua palavra é verdadeiramente o que faz da nossa vida, uma vida plenamente vitoriosa (I Ts 5:17, Sl 95:6, Sl 1).

Você com certeza já ouviu, leu ou mesmo talvez disse estas palavras. Não são revelações novas. Na verdade, são entendimentos semeados em nossa mente e consciência deste que viemos para Cristo. Mas tenho me perguntado nestes dias: Porque, é tão difícil praticar isso?



Temos vivido dias de despertamento, amados. Dias em que o nosso coração tem sido confrontado pelo Espírito Santo a realmente buscar com dedicação viver a vida de Jesus (Gl 2:20) e sermos instrumentos de cura e transformação das realidades e situações muitas vezes cruéis que nos cercam em nossas casas, cidades, nação e também outras nações (Is 61:1-3, Jr 1:10). Findou-se o tempo em que eram considerados chamados por Deus somente aqueles que falavam, cantavam e/ou oravam “bonito”. Na verdade, este nunca foi o critério de escolha de Deus, mas nós erroneamente vimos este critério ser usado na Igreja do Senhor durante todos estes anos para separar os “ungidos” dos “demais”, como se alguém por sua capacidade ou talento humano fosse mais santo ou melhor que o seu irmão (Rm 3:23). Quanto engano! Quanta cegueira!

Mas glórias a Deus, que neste tempo tem levantado profetas, filhos obedientes ao chamado de Deus, que tem aberto suas bocas com coragem e ousadia (Jr 1:4-9) para dizer a toda esta geração: “Filhos de Deus, acordem, a responsabilidade de preparar esta terra para a volta do Senhor é de todos nós!”

É isso mesmo, queridos. A exemplo de Moisés, nós somos chamados por Deus a levar Seu povo, hoje a Igreja, à Terra da Promessa. A responsabilidade de ganhar as almas pelas quais Jesus espera, de ir em busca dos filhos pródigos, de curar os enfermos, expulsar os demônios e invocar a presença da glória do Pai sobre esta terra é minha (Mc 16:15, Mt 28:19, Mt 10:8) . E sua também. Jesus está desafiando a nossa geração a se levantar das redes fresquinhas nas varandas de nossas casas e irmos atrás daqueles por quem o coração de Deus chora. Somos chamados a capturá-los e isso não com palavras vazias, cheias de persuasão humana, mas com o poder de Deus (I Co 2:5,13 e 4:20) para atraí-los e guiá-los a fonte da Água da vida (Ap 21:6)!

Cada um tem um papel especifico a realizar no Reino de Deus. Em toda essa imensidão que é a nossa nação, e tantas outras nações da terra, há algo para ser feito em favor do Seu estabelecimento que só pode ser feito por mim, por você (At 9:15). Há uma missão para cada um de nós. Ah, meus amados, há tanto para se fazer e tão pouco tempo! De onde nos virá a unção para realizarmos tão grande obra? A resposta conhecemos bem: A fonte é o Senhor (Sl 87:7, Sl 62:11)!

Ou seja, se quero cumprir o propósito para o qual eu nasci, se eu quero realizar os sonhos de Deus, se eu quero cumprir a minha missão no Reino, eu preciso buscar a presença do Senhor (Sl 105:4)! Precisamos buscar, perseguir a presença do Senhor, Igreja! Precisamos nos encher, até não caber mais e transbordar para todos os lados (Ef 5:18,20). A única coisa que nos torna especiais e diferentes dos outros bilhões de seres humanos que nos cercam é a presença de Deus em nossas vidas (Ex 33:15,16), fluindo abundantemente dela (Jo 7:38). A presença de Deus é nossa maior arma (I Sm 17:45)! Eu preciso da presença de Deus em mim. E você também precisa!

Todos os dias amanhecemos com os corações cheios de expectativas em Deus. O que Deus vai fazer hoje por mim, em mim, através de mim? Isso é maravilhoso! Porém, você já parou para refletir que todos os dias, Deus talvez te observe acordar e se levantar com o coração cheio de expectativas a teu respeito?

“O que meu filho amado vai fazer por mim hoje?”, “Para quem ele falará de mim neste dia?”, “A quem dará de comer?”, “A quem agasalhar?”, “A quem visitará?”, “Por quem irá orar, interceder?”, “Será que ele vai convidar seu vizinho para ir a minha casa?”, “Será que vai abraçar aquela pessoa que todos estão desprezando?”.

Ou, quem sabe, amados, algo mais forte: “Quanto tempo meu filhinho amado vai separar para conversar comigo hoje?”, “Será que ele já ouviu meu Espírito avisar que quero falar algo com ele naquele texto da minha palavra nesta tarde?”, “Quanta saudade meu filho sente de mim? Será que é do tamanho da saudade que estou sentindo dele?”



Sabe amados, eu creio de todo o meu coração, que como todo pai que ama, Deus tem expectativas a nosso respeito todos os dias. Uma missão para cada manhã, tarde e noite da nossa existência. E outras muitas “missões” que precisam de longas manhãs, tardes e noites para serem geradas e trazidas à luz. E mais do que entender isso, mais do que entender que não posso fugir da realidade de que eu tenho responsabilidades específicas e pessoais no Reino de Deus, eu preciso entender que só poderei arcar com cada uma delas e ser um fiel cumpridor das missões do Pai, se a minha vida estiver encharcada de Sua Santa presença (Sl 63).

O livre arbítrio é real. Podemos escolher dizer não ao chamado de Deus. Não aos Seus propósitos tão grandes. Não à tão sublime missão que Ele nos deu. Claro, jamais seríamos felizes fora do centro de Sua vontade, mas temos o direito de não querer viver nada disso. Contudo, se quisermos abraçar a visão do céu e bradar um forte e alto “SIM, EIS-ME AQUI!” Então a partir daí não temos mais escolha. Necessitamos de nos encher da presença de Jesus. Se não, seremos meros figurantes nesta obra. Meros reis e rainhas de atividades vazias e puramente religiosas. Enfim, fariseus (Mt 5:20).

Você não acha que já tem gente demais nestes papéis?

Decididamente eu quero algo diferente para a minha vida. Eu quero satisfazer as expectativas de Jesus a meu respeito. Você entender melhor sobre as expectativas de Jesus a nosso respeito? Leia o capítulo 17 de João. É a oração sacerdotal de Jesus. Ali, Jesus rasga seu coração diante do Pai, em intercessão por nós. Essa oração reflete o que está no coração de Deus para Seus filhos, Seus discípulos, Seus servos, Seus amigos. Eu quero realizar os sonhos de Jesus. Eu quero, de uma vez por todas, viver para Deus. Eu quero ser um soldado fiel do Exército do Senhor (I Sm 16:18).

E para isso, não tem choro nem vela, eu preciso começar a entrar no meu quarto, fechar a porta (Mt 6:6) e me ajoelhar, sem hora certa para me levantar. Está é a minha maior arma: Os meus joelhos!

Que o seu coração, como o meu, seja encorajado nestes dias, meu querido, a dizer “SIM!” ao chamado do Pai, o ABA, para a tua vida e a se dispor a pagar o preço que todo adorador tem que pagar para viver isso.

Puxa, é um preço tão maravilhoso. Nessa nossa vida agitada, realmente encontramos dificuldades para conseguir parar tudo e correr para os braços do Senhor, ficando ali a sós com Ele, desfrutando de Sua intimidade, sem pressa. Mas é só darmos o primeiro passo, amados (Sl 27:8); é só começar, tomar a iniciativa e passados os primeiros minutos, nem nos lembramos mais do sono, do cansaço, dos problemas, das responsabilidades humanas (Is 40: 28-31).

Enfim, é só o nosso Espírito Santo alcançar o nosso espírito e pronto, tudo que queremos e desejamos é a estar na presença do Senhor, para todo o sempre.

Temos muitas missões, Igreja viva do Senhor, a cumprir nestes dias. E a nossa maior ferramenta é a presença de Deus em nós!

É ela, e somente ela, que fará toda a diferença!



Deus te abençoe



Carinhosamente no Senhor





Thais Monteiro Brum

http://www.vidanovamusic.com/

thaisapaixonadaporjesus@yahoo.com.br